Abertura da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016

Com o Tema “Casa Comum, nossa responsabilidade”, e o Lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24), iniciamos a Campanha da Fraternidade 2016 destacando duas dimensões básicas para a subsistência da Vida:a preservação da natureza”  e “a questão da justiça”.

cfe_interna

É tarefa de todos incentivarem atitudes de políticas responsáveis que garantam “a integridade e o futuro de nossa casa comum”.

Por isso, o Objetivo geral da Campanha é: Assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum”.

O Saneamento Básico é fundamental para melhorarmos a nossa qualidade de vida.

SANEAMENTO BÁSICO é o conjunto de ações de saúde pública para melhorar:

  1. O abastecimento de ÁGUA que assegure a higiene e o conforto, com qualidade compatível com os padrões de potabilidade; menor acidez (Ph) da água…
  2. Coleta, tratamento e disposição adequada dos ESGOTOS
  3. Coleta, disposição e tratamento dos RESÍDUOS SÓLIDOS;
  4. Drenagem e manejo de ÁGUA PLUVIAIS;
  5. Controle ambiental de roedores, insetos, helmintos e outros vetores e reservatórios de doenças.

“Justiça Ambiental” é parte integrante da “Justiça Social”

É triste ter de constatar que a falta de prevenção com um SANEAMENTO BÁSICO mais eficiente, seja causa da maior parte das doenças que nos afligem e para as quais as instituições governamentais, parecem não dar a mínima importância…

1-Sabe-se da importância de uma boa água para que nosso corpo (70% de água) se mantenha sadio. Cadê as medidas tomadas pelo Ministério da Saúde e dos governos federal, estadual e municipal para melhorar essa situação? O que tem por trás desse descaso quando tem atualmente meios bem eficazes para melhorar a potabilidade da água investindo em equipamentos modernos, sem substâncias tóxicas como o flúor e o cloro, sobre cujas consequências nocivas para a saúde já nos estão advertindo há bastante tempo os médicos nutrólogos e cientistas? Que há por trás da insistência em permitir o uso de líquidos tão ácidos como a maioria das águas minerais que se permitem utilizar para consumo, assim como a maioria dos refrigerantes? Em nível municipal, tudo isto pode ser causado por desconhecimento, mas em nível estadual e federal, pode ter interesses de empresas que colaboraram nas campanhas políticas…  Onde que está o verdadeiro interesse pelo bem comum, pela saúde do povo, pela vida do povo? De momento, para tua família, te recomendo um filtro de barro para a água. É o mais barato e confiável, conforme alguns médicos cientistas…

É hora de cobrar de nossas autoridades medidas mais eficazes para combater o problema, com ações preventivas mais adequadas, para não ter de investir muito mais em tratamento das doenças…

2- Sabe-se do prejuízo causado à saúde pelo uso de agrotóxicos. Essas substâncias, além de contaminar os alimentos que chegam até nós, poluem os solos e, consequentemente, as águas que infectam os rios e também chegam até nós. Por que os nossos governantes e o Ministério da Saúde não atuam mais contundentemente para parar de uma vez a utilização dessas substâncias tão prejudiciais a nossa saúde e à natureza? Que interesses há por trás de tudo isso? Onde está o maior interesse pela vida do povo?

3- Sabe-se que uma alimentação balanceada e rica em nutrientes, vitaminas, proteínas e minerais, é o melhor preventivo para cuidar da saúde. Por que não se favorece mais o conhecimento e a utilização dos recursos naturais mais benéficos à saúde, sem ter de recorrer tanto a medicamentos e produtos farmacêuticos manipulados, que encarecem tanto o consumo? Lembro aqui, por exemplo, o magnésio, um mineral que nosso organismo precisa como regulador de muitas funções em nosso organismo, e que quase se desconhecem seus benefícios. Por que não recomendar e ensinar mais sua utilização como suplemento mineral, em verduras e frutos que o contém (especialmente os frutos secos) e suplementos manipulados mais baratos como o Cloreto de Magnésio PA?

4- Sabe-se que há produtos alimentícios beneficiados para mais fácil manipulação, mas que, em contrapartida, são mais prejudiciais à saúde que o benefício que aportam. Por que não se tomam medidas mais drásticas para parar isso, sendo tão nocivos à saúde? Falo dos cinco venenos que normalmente se utilizam em nossas casas por desconhecimento da maioria: o açúcar refinado, o sal refinado, o arroz branco, a farinha de trigo branca e o leite pasteurizado. Por que, estando comprovado o seu malefício à saúde, continua permitindo-se a sua industrialização, em vez de facilitar esses produtos na forma natural ou inclusive reconhecer que até o leite de vaca pode se prescindir de sua utilização? Por que manter o povo na ignorância de tudo isso em prejuízo de sua saúde? Muitos interesses por trás? Mas não a favor da vida do povo…

5- O Saneamento básico é também responsabilidade de cada cidadão. Como cuidamos da higiene pessoal, familiar, e da cidade? Cuidamos para evitar o acúmulo de água nos arredores de nossa casa e nas ruas? Cuidamos para jogar o lixo na lixeira?  Evitamos jogar lixo no rio? Façamos também nossa parte!!!

6- E, por estarmos na Amazônia, não podia deixar de mencionar a necessidade de cuidarmos de modo especial de nossa floresta, ainda um dos principais pulmões do mundo, com nos diz o Papa Francisco na “Laudato si”. Mas, até quando? É preciso parar o desmatamento brutal que ainda persiste em nossa região, nos arredores de nossas cidades e comunidades. Ainda tem pessoas sem consciência que, por um lucro rápido e insensato, estão dispostos a destruir parte significativa da floresta para vender a madeira e criar gado, sem perceber o dano que isso supõe para o Meio Ambiente, como um todo, à vida do nosso planeta, à casa que Deus nos deu para cuidar e, consequentemente,  para a raça humana…

O cuidado da “Casa comum, é nossa responsabilidade”!

+Dom Frei Jesus Moraza, OAR

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *